Filme: O Protetor 2 [Review]

Filme: O Protetor 2 [Review]

Os atores de Hollywood estão descobrindo que se tornar “action heroes” após os 50 é uma boa jogada, pois é crescente a quantidade de franquias com os tiozões porradeiros. O Protetor 2 busca repetir o sucesso de seu antecessor e traz novamente Denzel Washington quebrando meliantes à moda antiga.

A trama acompanhamos o agente especial aposentado Robert McCall (Denzel Washington)  que trabalha como motorista de aplicativo, sempre disposto a ajudar pessoas com problemas usando suas habilidades letais. Quando sua amiga e aliada Susan Plummer (Melissa Leo) é assassinada, ele usará todo seu treinamento para encontrar quem matou uma das poucas pessoas ao qual ele confiava. Agora ele usará todo seu treinamento para ir atrás de quem matou sua amiga. No elenco Pedro Pascal, Bill Pullman, Jonathan Scarfe, Ashton Sanders e Orson Bean.

Novamente temos Antoine Fuqua na direção, mostrando aqui uma história que ao contrário do filme anterior foca mais em McCall e seu passado. Como a trama base não é lá das mais originais, Fuqua explora outras subtramas ao redor do protagonista, com personagens carismáticos e interessantes que de algum modo acabam encaixando na trama principal. São algumas dessas subtramas que ajudam a explorar as camadas de McCall, permitindo que Denzel Washington mostre porquê é um ator tão renomado. Por explorar subtramas, em muitos momentos parece que você está vendo uma maratona de um seriado da Netflix, com várias coisas sendo trabalhadas de maneira simultânea, em alguns momentos fica até um pouco massante, mas por sorte temos a boa e velha ação para quebrar o marasmo.

Falando em cenas de ação aqui temos elas tão violentas e agressivas quanto no filme anterior e o clímax é ainda mais interessante! O único problema é a sensação de invencibilidade do protagonista que, ao contrário de John Wick que se quebra todo até o final, faz TUDO parecer fácil demais. Mesmo personagens fodões tem que passar um sufoco e suar as vezes, ou você não teme por eles. Pra não ser totalmente injusto, o vilão até que mostra ter um preparo para ser um adversário equivalente, e assim como o do filme passado sabe que o ponto fraco de alguém invencível são as pessoas ao seu redor, mas ainda assim senti falta de algo que me fizesse temer mais por McCall.

Assim como já comentei antes por aqui, parece que Hollywood está voltando a dar atenção aos filmes de ação no estilo de antigamente e, acredito que o público também esteja respondendo bem a isso. Mesmo com suas falhas e clichês previsíveis, O Protetor 2 tem algumas sutilezas que o tornam especial, sem falar na atuação sempre incrível de Washington – Típico filme de Domingo Maior, mas também vale o ingresso no cinema.

Deixe um comentário

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.