Filme: A Morte te dá Parabéns 2 [Review]

Filme: A Morte te dá Parabéns 2 [Review]

Comumente vemos sequências de filmes ficarem reféns de uma fórmula estabelecida em seu antecessor, o que acaba prejudicando seu desempenho, mas nem sempre isso acontece. A Morte te dá Parabéns 2 amplia a premissa do primeiro filme de forma autorreferencial e criativa.

Após conseguir resolver o mistério de seu assassinato no dia de seu aniversário e fechar o looping temporal ao qual estava presa, a jovem Tree Gelbman (Jessica Rothe) acaba descobrindo a origem do que a prendeu nesse problema, indo parar novamente no looping, mas desta vez as coisas não estão como deveriam estar. No elenco Israel Broussard, Suraj Sharma, Phi Vu e Sarah Yarkin.

Um dos méritos da Blumhouse Studios é a ousadia em testar novas formas de se explorar o gênero do terror, como podemos ver em produções como Corra!, Uma Noite de Crime,  Fragmentado e o primeiro A Morte te dá Parabéns (ao qual já comentei AQUI), onde a comédia e o clichê de ciclo temporal casam de forma harmônica aos elementos de um slasher movie. Novamente temos o diretor Christopher Landon a frente do filme, o que permite uma melhor unidade entre a nova produção quando ela precisa recorrer a elementos de sua antecessora. Fica evidente que, além dos ganchos e referências a filmes de viagem no tempo clássicos, a produção procurou evocar um clima de comédia adolescente oitentista – e foram muito bem sucedidos nisso.

Enquanto o primeiro filme funciona como O Feitiço do Tempo, sem explicar o que causou o looping temporal, este acaba por entrar na explicação, porém o que normalmente estraga as coisas aqui acaba servindo como base para o desenvolvimento do roteiro. Com um resumo do que aconteceu anteriormente, o filme procura funcionar mesmo para quem está conhecendo a franquia agora, mas fica evidente que aqueles que assistiram o anterior vão mergulhar em uma camada mais profunda de conexão com os estranhezas e eventos que cercam Tree. Um dos pontos positivos deste filme é a decisão em explorar pequenos elementos presentes no filme passado para construir sua narrativa, algo como o que foi feito em De Volta para o Futuro 2.

Um dos elementos explorados no novo filme é o personagem de Phi Vu, que deixou de ser apenas o colega de quarto do interesse da mocinha e virou a base dos principais eventos, trazendo com ele uma turma de nerds cientistas no melhor estilo The Big Bang Theory. Ainda que seu personagem tenha esta nova abordagem, quem carrega o filme novamente é Jessica Rothe. Sua personagem continua a esbanjar carisma e, como já teve um arco de crescimento trabalhado no primeiro filme, aqui recebe outro ao qual fica diante de dilemas profundos e que permitem um maior aprofundamento da mesma.

Existe uma carga mais “pastelão” nesta sequência, e um grande representante disso é o diretor da escola, extremamente caricato e, por falta de definição melhor, “bobo”. Certos pontos do roteiro que me incomodaram no primeiro e retornaram aqui, como algumas regras estabelecidas no decorrer da película funcionarem e deixarem de funcionar conforme a necessidade do roteiro. Este tipo de problema te tira da imersão, quebra um pouco da credibilidade naquele mundo. Apesar de conseguir causa boas surpresas ao longo da história, perto do final tudo vai ficando previsível, mas não ao ponto de estragar as coisas.

Tendo em vista como é complexo trabalhar com efeitos temporais, ainda mais em uma sequência, A Morte te dá Parabéns 2 tem mérito por expandir seu próprio universo de maneira simples em pró da história. Como o terror serve apenas de escada para a sátira e o humor, novamente não indico este filme para quem espera procura apenas tomar sustos, mas mesmo assim recomendo que vá assistir pois ele vale o ingresso.

Obs.: Tem uma cena pós-créditos.

Deixe um comentário

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.