Multiversity: tudo o que já foi divulgado sobre a saga de Morrison

Multiversity: tudo o que já foi divulgado sobre a saga de Morrison

multiversity1

Imagem divulgação de Multiversity

Multiversity será a nova saga escrita por Grant Morrison que contará com artes dos brasileiros Ivan Reis e Joe Prado. A história será uma viagem pelos 52 universos da DC Comics, explorando cada uma das realidades com a proposta de “tornar cada história realista”. Nessa matéria, procuramos apresentar um plano geral de todas as notícias divulgada na mídia sobre a saga, bem como imagens das páginas. Claro que não podemos deixar de destacar o “Superman Mussum” AQUI.

Nessa semana o autor concedeu uma entrevista ao Wired e apresentou as primeiras páginas do projeto. “No passado, as pessoas criavam um Batman maléfico e o matavam no final da história apenas para fazer algo interessante. Mas acabavam desperdiçando um universo inteiro ao fazer isso”, conta Morrison. “Todos nós temos diferentes rostos que mostramos para diferentes pessoas na nossa vida. A única maneira de entender a mim ou a você é ver todos eles de uma só vez. Em Multiversity, eu quis fazer isso para todo o Universo DC.

O Zen e a teoria das cordas

Multiversity01p06

Arte de Reis e Prado para primeiro volume

Além disso, o autor tentar explicar suas noções do que é cânone afirmando que não existe diferença entre as histórias canônicas ou apócrifas. Para Morrison, tudo é real. (Imagina a história de Jesus sobre esse ponto de vista?). Ele completa esse raciocínio citando a sua obra, Grande Astros: Superman, quando soube de pessoas que deixaram de cometer suicídio após lerem a passagem em que o Homem de Aço impede com palavras a uma pessoa de matar-se. “Para mim, esse herói falso, essa criação em papel, realmente impediu uma pessoa de cometer suicídio. É para isso que o Superman existe”, falou o roteirista.

Ele tentou explicar o intricado mapa do Multiverso da DC (veja mais abaixo). Segundo ele, cada mundo é uma estrutura arquetípica. Ele tenta explicar isso usando uma teoria Zen Budista sobre a consciência de que existe um vazio que é a base de tudo. Que diversas culturas chamam de Deus. Para Morrison as discussões em Multiversity vão além do entretenimento, sobre a teoria das supercordas é possível imaginar múltiplos universos: “Então, pode realmente existir um Superman em algum lugar”.

Na San Diego Comic-Con deste ano, o escritor revelou mais detalhes sobre essa que será a primeira grande saga que definirá o novo multiverso da DC Comics. Cada realidade paralela terá um artista convidado a desenhar – a primeira edição é por conta de Reis e Prado.

A Primeira edição e as referencias “junguinianas” de Morrison

Arte de Reis e Prado para a primeira edição

Arte de Reis e Prado para a primeira edição

O estudo começa em 1950 quando a DC reformulou seus personagens, como o Flash e o Lanterna Verde, dando inicio ao que seria a Era de Prata. O Velocista Escarlate deixou de ser Jay Garrick para ser Barry Allen. Mas, mais tarde eles voltariam a se encontrar em The Flash of Two Worlds escrita por Gardner Fox e desenhada por Carmine Infantine. Foi assim que o multiverso nasceu. Vários desses conceitos serão reintroduzidos por Morrison para a saga. Como o caso de Barry que lia os quadrinhos de um herói super-rápido (era o Jay Garrick) quando acidentalmente recebe seus poderes. Cada personagem pode ler versões de si em outros gibis e todos esses mundos existiram em Multiversity. Até mesmo o nosso mundo, onde não existem superpoderosos pode existir na saga.

Além disso, os Monitores vigiavam os 52 universos alternativos, mas se foram e tudo se tornou mais vulnerável. Agora, o último Monitor tenta proteger toda a realidade. Esse ser é uma brincadeira de Morrison. Como ele gosta de fazer ao se inserir dentro das histórias. “A ideia é brincar com essas coisas que me interessam, quebrar a barreira do que é real e o que não é. Introduzimos essa técnica de indução hipnótica para mexer com a cabeça das pessoas”.

Os volumes 2 e 3

Esboço de Multiversity 2

Esboço de Multiversity 2

O segundo volume será desenhado por Chris Sprouse e Karl Story. De acordo com informações da DC, a viagem pelo Multiverso chega a Terra-20, habitada por uma Sociedade da Justiça nunca vista antes. O Lanterna agora é um demônio que protege o mundo. Os Senhores Destino surgem com mistérios que podem salvar o planeta e conhecemos os Falcões Negros. Eles ainda devem confrontar uma invasão da Terra-40 organizada por Vandal Savage. Ou seja, uma verdadeira guerra entre mundos paralelos.

Em The Multiversity – The Just#1, a história do terceiro volume, Ben Oliver assume a arte da história que se desenrolará na Terra-16. Habitada pela nova geração de heróis que contém hris Kent, Damien Wayne, Alexis Luthor, Rebento, Metamorfo, Donna Troy e outros. Esses novos guerreiros mais parecem superstars do que combatentes da justiça. Mas algo no Multiverso ameaça a tranquilidade dessa turma de crianças mimadas…

Imagem divulgação para o terceiro capítulo

Imagem divulgação para o terceiro capítulo

Os volumes 4 e 5

Esboço do quinto capítulo

Esboço do quinto capítulo

No quanto capítulo da saga, o leitor verá o mundo com as versões dos heróis criados pela Charlton Comics, como o Besouro Azul, Capitão Átomo, Pacificador, Questão e outros. Esses que mais tarde viriam a inspirar Alan Moore a escrever Watchmen. A DC promete colocar todos os heróis em uma saga moderna sem apelar para a mesma fórmula do Moore – ora aprenderam algo com Before Watchmen?

Mesmo assim, algumas coisas de Watchmen serão aproveitadas. O Pacificador realmente matou o presidente dos Estados Unidos – como o Comediante –, mas esse é só o gatilho para uma série de viagens no tempo nessa HQ ilustrada por Frank Quitely. Enquanto que Cameron Stewart desenha a quinta edição em homenagem ao Shazam. Ela terá um estilo mais tradicional no que o artista chamou de uma “espécie de Grandes Atros: Superman para o Shazam”.

O volume 6 e o mapa do Multiverso

O próximo capítulo será na Terra-6, ocupada pelas versões dos heróis da DC criados por Stan Lee no final da década de 90. São volumes com o Batman, Superman, Flash, Lanterna Verde, Mulher-Maravilha e Liga da Justiça. Cada revista servirá como um guia definitivo dos 52 universos, com todos os personagens que viveram em cada um deles. As sagas mais recentes como Ponto de Ignição e demais revisões também serão abordadas. Para facilitar os leitores, Morrison elaborou um mapa completo do Multiverso que foi divulgado no mês passado. Veja:

MultiversoDC-1024x785

Mapa do Multiverso

Esse guia servirá para novos autores desenvolverem histórias nos universos paralelos ou em outros mundos/conceitos como a Sangria, a Força da Aceleração, os Novos Deuses, Céu, Inferno, Sonho, o Monitor e a Fonte. Ao todo serão nove volumes e as próximas edições, com preview ainda não divulgados terão nomes dedicas as terras paralelas da DC. O projeto está sendo desenvolvido pelo autor há oito anos.  A primeira edição de Multiversity de Morrison, Joe Prado e Ivan Reis será lançada na próxima quarta-feira, dia 20.

Fontes: Universo HQ e Dínamo Studio.

Deixe um comentário

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.