Sarjeta do Terror #19 – Uzumaki

Sarjeta do Terror #19 – Uzumaki

capapost19

Os japoneses parecem ser bastante atraídos pelo bizarro, pelo estranho e pelo surreal. Pode ser que isso constitua um estereótipo criado por nós, ocidentais, mas o fato é que, no que se refere a histórias em quadrinhos, em particular de terror, é quando o estranho, o bizarro e o surreal dão a tônica dos mangas do gênero que os resultados são realmente de alto nível.

Um dos autores japoneses que mais se destacou no ocidente foi Junji Ito.Com suas histórias no melhor estilo “Além da Imaginação”, pessoas comuns se vêem às voltas com realidades lovecraftianas onde tudo parece absurdo demais para ser real – só que, não só é real, como é mortal. Entre estas histórias fantásticas está talvez a obra mais conhecida dele, Uzumaki.

Uzumaki (“espiral”, em japonês), é uma história que apareceu primeiramente de forma seriada na revista Big Comic Spirits e depois foi compilada em 3 volumes, que também foram publicados no ocidente. A história acompanha o dia a dia da cidade de Kurôzu-cho, onde o conceito de espiral assume características sobrenaturais e muitas vezes impossíveis. A protagonista da história é Kirie Goshima, uma estudantes colegial como outra qualquer que tem um namorado chamado Suichi. Com o tempo, coisas estranhas começam a acontecer na cidade e somos levados pelo ponto de vista de Kirie para aos poucos desvendarmos o que está acontecendo. Algo estranho ocorre na cidade, num primeiro momento como casos aparentemente isolados, mas que com o tempo começa a ficar claro que eles possuem algum tipo de relação. Apenas Suichi parece estar ciente de que alguma coisa está terrivelmente errada com a cidade.

Entre as circunstâncias que ocorrem na cidade estão a obsessão do pai de Suichi por espirais, o que o leva a se torcer dentro da máquina de lavar roupas; a fobia da mãe de Suichi por espirais, consequência do que ocorreu com o marido; o estranho fenômeno que transformou algumas pessoas em caramujos gigantes; uma garota da escola fica popular por atrair pessoas para si com seus cabelos espiralados, que começam a ficar cada vez maiores; entre outros. Cada novo incidente estranho leva a cidade a problemas cada vez maiores, parecendo que alguma coisa está interessada em destruir a cidade inteira e todos que a habitam. Caberá a Kirie e Suichi chegar até o fundo de tudo isso antes que seja tarde demais.

Uzumaki tem uma estrutura muito interessante. Apesar de ter uma protagonista e personagens recorrentes, a história começa quase que num estilo de antologia, onde cada capítulo tenta funcionar quase como uma história isolada, embora passada na mesma cidade. Com o tempo, estas histórias vão tendo cada vez mais ligação entre si conforme os acontecimentos vão crescendo o bastante para inevitavelmente atingir a cidade inteira (tanto as pessoas quando a arquitetura), levando a população para o caos total e deixando-os isolados do resto do mundo.

Uzumaki começou a ser publicado originalmente em 1988 e, em 2000, teve uma adaptação cinematográfica dirigida por Higunchinsky. O filme, no entanto, não teve uma boa aceitação do público. No Brasil, o manga chegou a ser publicado em 3 volumes pela editora Conrad, mas creio que hoje este material se encontra fora de catálogo pela editora, o que é uma pena. É bem possível que esta versão em português ainda possa ser encontrada em sebos por aí.

Curiosidades:
– Junji Ito queria inicialmente fazer uma história sobre mudanças que ocorrem em pessoas que compartilham suas vidas vivendo em longas casas tradicionais japonesas conhecidas como “row houses”. Nestas construções, são diversas casas que compartilham suas paredes externas. Sua ideia era se basear em suas próprias experiências de infância, onde passou vivendo numa casa deste tipo;
– O filme possui um final diferente do manga. Isso se deve ao fato de que, quando foi filmado, ainda não havia um final para a obra original;
– Em 2003, Uzumaki foi indicado ao Eisner na categoria Best U.S. Edition of Foreign Material;
– Um “capítulo perdido”, chamado “Galaxies”, que não apareceu no lançamento original da série, foi incluída apenas posteriomente nas edições “Omnibus”, e chegou ao ocidente ao ter sido incluído no terceiro volume da edição norteamericana;
– Juni Ito inclui H.P. Lovecraft entre as inspirações para a criação de Uzumaki;
– Dois vídeo games foram produzidos baseados no manga. Uzumaki: Denshi Kaiki Hen, que reconta os eventos do filme (com direito a participação especial da atriz Erika Hatsune, que interpretou Kirie no filme); e Uzumaki: Noroi Simulation, que é uma espécie de jogo de simulação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Edições anteriores:

18 – Terror nas grandes editoras, parte 1

17 – Do cinema para os quadrinhos: Evil Dead/Army of Darkness

16 – Terror no mundo real: o Comics Code Authority, parte final

15 – Super-heróis com um “pé” no terror: Doutor Oculto

14 – Terror no mundo real: o Comics Code Authority, parte 1

13 – Da TV para os quadrinhos: Elvira, a Rainha das Trevas

12 – EC Comics , epílogo: O Discurso Contra a Censura

11 – Criadores de Terror: Salvador Sanz

10 – EC Comics, parte 3: o fim

9 – Super-heróis com um “pé” no terror: Homem Formiga

8 – Interlúdio: Shut-in (trancado por dentro)

7 – EC Comics, parte 2: o auge

6 – Interlúdio: Garra Cinzenta, horror pulp nacional

5 – EC Comics, parte 1: o início

4 – Asilo Arkham: uma séria casa num sério mundo

3 – A Era de Ouro dos comics de terror

2 – Beladona

1 – As histórias em quadrinhos de terror: os primórdios

Deixe um comentário

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.