Sarjeta do Terror #17 – Do cinema para os quadrinhos: Evil Dead/Army of Darkness

Sarjeta do Terror #17 – Do cinema para os quadrinhos: Evil Dead/Army of Darkness

capapost17

Dia 31 de Outubro estreia nos EUA, pelo canal Starz, Ash vs Evil Dead. Baseada cinessérie criada por Sam Raimi, a série serve como sequência para os filmes clássicos da Franquia e mais uma vez traz Bruce campbel no papel que o tornou conhecido. Para homenagear a estreia da série, vou falar um pouco sobre as versões em quadrinhos de Ash Williams.

Antes, uma pequena síntese: ora chamado de “Evil Dead”, ora de “Army of Darkness”, ambos se referem ao mesmo universo criado por Sam Raimi para os filmes Evil Dead, Evil Dead 2 e Army of Darkness, que acompanham a história de Ash Willams, que se vê às voltas com o Necronomicon Ex-Mortis, um antigo texto sumério capaz de liberar forças do mal. A cinessérie alcançou status de “cult” e acabou sendo adaptada para outras mídias, incluindo os quadrinhos. Nas HQs, Ash viajou pelo tempo e pelo espaço, e enfrentou desde monstros clássicos até grandes figuras do cinema e da TV como Freddy Krueger, Jason e… Xena???

Army of Darkness (Dark Horse, 1992)

A passagem de Ash Williams para os quadrinhos começou nos anos 90 pela editora Dark Horse, com a adaptação de Army of Darkness – o terceiro filme da série numa minissérie em 3 edições, a partir do roteiro original de Sam e Ivan Raimi, com desenhos de John Bolton. Por conta disso, a HQ conta com o final original que não saiu na versão final do filme.

Army of Darkness: Ashes 2 Ashes (Dynamite, 2004)

A partir dos anos 2000, a editora Dynamite adquiriu os direitos sobre a marca e relançou a adaptação de Army of Darkness, além de inaugurar uma nova minissérie, em 4 edições, que continuava as aventuras do personagem. Em Ashes 2 Ashes, seguimos direto de onde parou o terceiro filme, com o Feiticeiro chegando ao tempo de Ash e dizendo a ele que não está ainda na sua época correta, chegando momentos antes dele deixar a floresta no primeiro Evil Dead. Mais uma vez ele tem que encarar o mal na floresta, encontra seu eu presente e, junto com o feiticeiro, manda o para o passado onde os eventos do terceiro filme acontecem, na tentativa de destruir o livro que começou tudo isso.A minissérie foi escrita por Andy Hartnell, com arte de Nick Bradshaw.

Army of Darkness: Shop Till You Drop Dead (Devil’s Due/Dynamite, 2005)

Publicado pela Devil’s Due Publishing e Dynamite, esta nova minissérie, também em quatro partes, deu sequência a Ashes 2 Ashes e acompanha Ash, de volta do Egito, acreditando que o Necronomicon Ex-Mortis foi destruído para sempre. Mas o livro maligno deu um jeito de retornar e acabou nas mãos do irritante chefe de Ash, que terá de se unir aos seus colegas de trabalho para mais uma vez lutar contra o mal. Foi roteirizado por James Kuhoric e desenhado por Nick Bradshaw e Sanford Greene

Army of Darkness – Volume 1 (Dynamite, 2005)

Finalmente, a Dynamite decide dar uma série regular para Ash, que segue diretamente a partir de onde Shopt Till Yout Drop Dead terminou. Foram produzidos quatro arcos para esta série que valem a menção em separado: Ash vs Reanimator, onde o personagem encontra Herbert West, personagem do clássico conto de H.P. Lovecraft; Old School, onde Ash retorna para a cabana onde tudo começou; Ash vs Dracula, onde Ash tem que impedir o Vampiro de usar o Necronomicon; e The Death of Ash, que encerra esta primeira leva da série regular, e termina com o personagem indo parar no universo dos Zumbis Marvel

Army of Darkness vs Marvel Zombies (Marvel Comics, Dynamite, 2007)

Aproveitando-se do sucesso da série sobre um universo onde os super-heróis da Marvel se transformaram em Zumbis, a Marvel se aliou a Dynamite para produzir este crossover inusitado. Aqui, Ash acaba indo parar no Universo de Marvel Zombies, antes da infecção, trazida do espaçopelo Sentinela, acontecer, e acaba tendo que se unir à resistência contra os super-heróis devoradores de cérebros. A minissérie foi escrita por John Layman,com desenhos de Fabiano Neves, Fernando Blanco e Sean Phillips.

Darkman vs. Army of Darkness (Dynamite, 2006)

Em uma bela homenagem ao criador de Evil Dead, este crossover traz Ash encontrando-se com Deadman, outra cinessérie clássica criada por Sam Raimi. Na história, o antigo amor de Deadman libera as forças do mal acidentalmente através do Necronomicon e Deadman acaba contando invariavelmente com a ajuda de Ash para ajudar a resolver o problema. A história foi escrita por Roger Stern e Kurt Busiek, com arte de James Fry.

Army of Darkness – Volume 2 e 3 (Dynamite, 2007)

Nesta segunda série, que durou até 2009, Ash segue enfrentando criaturas malignas, viajando por diversos períodos de tempo e realidades alternativas. Houve também uma terceira série, que durou 13 edições.

Ash vs Freddy e Jason 1 e 2 (Dynamite, Wildstorm, 2008; 2009)

Não demoraria muito para Ash encontrar dois clássicos personagens de cinesséries de terror: Freddy Krueger (A hora do Pesadelo) e Jason Voorhees (Sexta-feira 13), e isso aconteceu em duas ocasiões. A primeira, Freddy vs. Jason vs. As,é baseado num roteiro feito para uma possível sequência do filme Freddy vs Jason; a segunda, chamada de The Nightmare Warriors segue diretamente de onde a anterior terminou e traz cameos de diversos personagens das franquias A hora do Pesadelo e Sexta-feira 13.

Army of Darkness e… Xena? Duas vezes? (Dynamite, 2008)

Com a versão quadrinística de Evil Dead estabelecida como um universo onde tudo pode acontecer, a editora trouxe talvez o encontro mais inusitado até então: Ash encontrando Xena, a Princesa Guerreira. O encontro aconteceu em duas minisséries: Army of Darkness / Xena: Why Not?, onde o personagem viaja ao mundo de Xena para destruir uma miniversão dele mesmo que ode destruir aquele mundo; seguido de Xena / Army of Darkness: What, Again?.

Ash Williams e o universo criado na cinessérie Evil Dead/Army of Darkness encontrou terreno fértil nos quadrinhos e daí resultou uma porção de histórias malucas, inusitadas e com o humor característico da série original, além de nos confundir com frequência por conta das maluquices envolvendo viagens temporais. Além das minisséries citadas, Army of Darkness ainda teve crossovers com diversos outros personagens, como Danger Girl, Vampirella e Hack/Slash, salvou o presidente Obama em uma minissérie específica e teve também diversos especiais e one-shots diversos.

Para quem é fã deste universo criado por Sam Raimi, e está ansioso para a estreia da série, recomendo que procurem pelo menos algumas das Hqs comentadas. Não creio que alguma delas tenha vindo ao Brasil, mas se você não for avesso à compra de edições digitais ou estiver disposto a esperar o dólar baixar de preço, ao menos para os fãs mais hardcore, são leituras mais do que recomendadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Edições anteriores:

16 – Terror no mundo real: o Comics Code Authority, parte final

15 – Super-heróis com um “pé” no terror: Doutor Oculto

14 – Terror no mundo real: o Comics Code Authority, parte 1

13 – Da TV para os quadrinhos: Elvira, a Rainha das Trevas

12 – EC Comics , epílogo: O Discurso Contra a Censura

11 – Criadores de Terror: Salvador Sanz

10 – EC Comics, parte 3: o fim

9 – Super-heróis com um “pé” no terror: Homem Formiga

8 – Interlúdio: Shut-in (trancado por dentro)

7 – EC Comics, parte 2: o auge

6 – Interlúdio: Garra Cinzenta, horror pulp nacional

5 – EC Comics, parte 1: o início

4 – Asilo Arkham: uma séria casa num sério mundo

3 – A Era de Ouro dos comics de terror

2 – Beladona

1 – As histórias em quadrinhos de terror: os primórdios

Deixe um comentário

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.