Sarjeta do Terror #23 – Da TV para os quadrinhos: Arquivo X

Sarjeta do Terror #23 – Da TV para os quadrinhos: Arquivo X

capapost23

No próximo domingo estreia (nos EUA; segunda, no Brasil) a minissérie em 6 episódios que traz de volta Arquivo X, uma das sérias mais cultuadas das últimas décadas e que foi um praticamente um fenômeno cultural nos anos 90, trazendo de volta a paranoia com discos voadores e segredos do governo.

Para quem não está familiarizado com a série original (é estranho pensar que já existe uma geração que não cresceu com AX), Arquivo X acompanhava a dupla Fox Mulder e Dana Scully, dos Arquivos X do título, um departamento do FBI responsável por investigar casos inexplicáveis – geralmente envolvendo o paranormal, sobrenatural e o macabro.

Para comemorar o retorno da série, vamos conhecer um pouco mais sobre a trajetória de Arquivo X nos quadrinhos.

A primeira série

Arquivo X teve sua primeira instância nas HQs já em 1995, apenas dois anos depois da série ter estreado. A HQ foi publicada pela Topps Ccomics e durou até 98, correndo em paralelo com o programa entre a segunda e a quinta temporada.

A primeira edição, de número #0, foi uma adaptação do episódio piloto e a intenção original era continuar adaptando os episódios da TV, o que posteriormente não aconteceu. Diferente do que acontecia na série, as edições 1 a 12 faziam parte de uma grande e única história, com diversos arcos menores, mudando para histórias autocontidas a partir da edição 13 – seja durando apenas uma edição ou em arcos menores de duas ou 3 partes.

A série de quadrinhos, inicialmente escrita pelo veterano Roy Thomas (com contribuições de diversos outros roteiristas e artistas), durou 41 edições, mais uma Graphic Novel idependente chamada Afterlight e alguns especiais curtos. Além disso, a Topps ainda publicou uma adaptação de Arquivo X – o Filme e do livro Ground Zero, também baseado na série, que na adaptação em quadrinhos se tornou uma minissérie em 4 partes.

No Brasil, estas HQs serão lançadas em breve pela editora New Order em encadernados baseados nas compilações “The X-files Classics”, também lançadas nos EUA.

A curta trajetória pela Wildstorm

Em 2008, editora Wildstorm, de Jim Lee (que depois seria absorvida pela DC Comics), resolveu pegar carona no lançamento do filme Arquivo X – Eu quero Acreditar e publicou uma minissérie de 7 edições baseada no universo da série de tv.

Décima temporada em quadrinhos

Em 2013, a IDW trouxe a série de volta para os quadrinhos com um objetivo ambicioso: dar continuidade, ainda que de forma “não canônica” às aventuras de Mulder e Scully, que se encerraram com o fim do programa em 2002 (e cuja última aparição se deu em 2008, com o segundo filme).

Esta série em quadrinhos tem produção de Chris Carter, que também contribuiu com roteiros para diversos episódios, e são escritas por Joe Harris. Além disso, diversas edições one-shots foram escritas por Harris e o veterano Karl Kesel, passando-se durante essa décima temporada. O arco que foi chamado de “season 10” durou 25 edições, sendo seguida posteriormente pela décima primeira temporada, que se encerrará em breve com um total de 8 edições.

Confira a resenha da décima temporada em quadrinhos no site Melhores do Mundo.

Curiosidades:
– A edição #0 de Aqruivo X pela Topps adaptou o episódio piloto da série como um termômetro, para testar o interesse dos fãs por uma série em quadrinhos do programa;
Charles Adlar, que foi um dos desenhistas da primeira série, é mais conhecido hoje pelo seu trabalho nas HQs de The Walking Dead;
– A minissérie publicada pela Wildstorm teve suas primeiras 3 edições escritas por Frank Spotnitz, notável roteirista e produtor da série;
– Depois que começou a ser publicada pela IDW, Mulder e Scully tiveram diversos crossovers com outros personagens dos quadrinhos, alguns bastante inusitados. Entre eles estão os vampiros de 30 Dias de Noite, Os Caca-Fantasmas, As Tartarugas Ninja e até Transformers.
– A décima temporada (e a décima primeira) que tem sido publicada nos quadrinhos era originalmente para ser considerada canônica (tanto que conta com Chris Carter na produção da HQ). Mas, ao que tudo indica, o retorno da série à TV provavelmente mudou este status.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Edições anteriores:

22 – Criadores de Terror: Eugenio Colonnese

21 – Terror nas grandes editoras, parte final

20 – Terror nas grandes editoras, parte 2

19 – Uzumaki

18 – Terror nas grandes editoras, parte 1

17 – Do cinema para os quadrinhos: Evil Dead/Army of Darkness

16 – Terror no mundo real: o Comics Code Authority, parte final

15 – Super-heróis com um “pé” no terror: Doutor Oculto

14 – Terror no mundo real: o Comics Code Authority, parte 1

13 – Da TV para os quadrinhos: Elvira, a Rainha das Trevas

12 – EC Comics , epílogo: O Discurso Contra a Censura

11 – Criadores de Terror: Salvador Sanz

10 – EC Comics, parte 3: o fim

9 – Super-heróis com um “pé” no terror: Homem Formiga

8 – Interlúdio: Shut-in (trancado por dentro)

7 – EC Comics, parte 2: o auge

6 – Interlúdio: Garra Cinzenta, horror pulp nacional

5 – EC Comics, parte 1: o início

4 – Asilo Arkham: uma séria casa num sério mundo

3 – A Era de Ouro dos comics de terror

2 – Beladona

1 – As histórias em quadrinhos de terror: os primórdios

Deixe um comentário

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *